Educação e Território

O programa Educação e Território é uma iniciativa da Cidade Escola Aprendiz que, por meio de projetos e experiências voltadas à integração entre comunidades, equipamentos públicos e escolas, apoia a constituição de territórios educativos e colabora para o desenvolvimento integral de todos e todas. A partir dos conhecimentos e metodologias acumulados nos 23 anos de atuação do Bairro-Escola, o programa acredita na Educação Integral como instrumento de transformação social, e entende que ruas, bairros, comunidades, vilas e periferias são espaços repletos de oportunidades educativas que fortalecem o desenvolvimento local e dos indivíduos. Como estratégia para ampliar a presença do tema na agenda pública do país, a iniciativa identifica e apoia políticas públicas, e leva a concepção de Territórios Educativos a eventos, fóruns e outros espaços de discussão. O Educação e Território ainda articula representantes de organizações da sociedade civil, coletivos e do poder público de diferentes setores – educação, saúde, cultura e assistência social – em ações de incidência e processos formativos que buscam fortalecer as cidades como territórios educativos.

Saiba mais

Principais resultados

215

Gestores, professores
e educadores sociais formados

7

ciclos formativos realizados presencialmente, totalizando 450 horas

4,4milhões

de pessoas alcançadas no Facebook

884,8mil

usuários únicos no Portal Aprendiz                                                                                    

1,2milhão

de visualizações de páginas no Portal Aprendiz


Destaques

Plataforma Educação e Território

Lançada em 2019, a plataforma Educação e Território reúne em um novo e moderno layout os conteúdos sobre Educação, Direitos Humanos e Território que marcam a produção jornalística do programa. Apresentando o acervo de descobertas e aprendizados cultivados nos últimos quatro anos pelo programa Cidades Educadoras, o novo site é resultado de um intenso processo de reflexão e as mudanças propostas são um convite para que os leitores participem da jornada que agora se renova.

Fortalecimento do Projeto Político Pedagógico das OSC`s |Organizações da Sociedade Civil

O programa Educação e Território atua diretamente com instituições que trabalham com crianças, adolescentes e jovens no processo de elaboração e revisão de seus Projetos Político Pedagógicos (PPPs). Por meio de uma metodologia participativa, as organizações e equipamentos têm a oportunidade de qualificar sua oferta educativa à luz dos conceitos e práticas de Educação Integral e Território Educativo.

Reconhecimento da Tecnologia Social Famílias e Infâncias Migrantes

O Horniman Museum & Gardens do Reino Unido e o Museu da Imigração do Estado de São Paulo reconheceram como referência de engajamento de comunidades migrantes a estratégia “Sabores e Saberes: memórias que atravessam tempos e espaços” , desenvolvida no âmbito do projeto Integração Família – Rede Socioeducativa, desenvolvido entre 2016 e 2017 pelo programa Educação e Território. A iniciativa, implementada no bairro do Bom Retiro, em São Paulo, apoiou famílias migrantes nos processos de participação junto às escolas, serviços e equipamentos, a partir da valorização dos saberes cultivados nas cozinhas das famílias que viviam no território. A publicação “Em Contato: comunidades, cultura e engajamento" , lançada em 2019, reúne diversos artigos sobre o tema, entre eles o artigo “Sabores e Saberes: memórias que atravessam tempos e espaços”, que sistematiza o processo e o resultado do projeto.

Projetos

Em parceria com o Instituto Padre Haroldo, por meio do projeto Entre Malhas, iniciativa que visa o enfrentamento e combate a violências no bairro Campo Belo, em Campinas (SP), a Cidade Escola Aprendiz realizou 25 horas de encontros formativos com professores da Escola Estadual Jardim Marisa e com o coletivo de mulheres do Ponto de Cultura Centro Cultural da Mulher, na Comunidade Menino Chorão. Nesses encontros foi possível aprofundar os conhecimentos e reflexões a respeito dos princípios e conceitos de Educação Integral e Territórios Educativos, a partir das potencialidades e vulnerabilidades presentes na região do Campo Belo. Os insumos produzidos serviram para subsidiar as lideranças locais e os agentes da rede de proteção, fortalecendo o território como educativo.
Em parceria com o Instituto Bauducco, a Cidade Escola Aprendiz realizou um encontro formativo para cocriação de subsídios para o Projeto Político Pedagógico (PPP) da instituição. As atividades foram estruturadas utilizando metodologias ativas, permitindo um processo de ação e reflexão com os participantes a partir das práticas e pressupostos já trabalhados pelo Instituto Bauducco. Nesse encontro, foi possível alinhar conceitualmente a equipe sobre as concepções de Educação Integral e Território Educativo; aprofundar a natureza pedagógica do Instituto Bauducco; iniciar um processo de construção coletiva do Projeto Político Pedagógico (PPP); e repensar o plano de avaliação do processo formativo dos jovens atendidos pelo programa de formação promovido em Osasco, no estado de São Paulo.
O projeto Educação Integral para uma Cidade Educadora, realizado com o apoio da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), por meio do Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Fumcad), tem como objetivo a formação de agentes socioeducativos que compõem a rede de atendimento e proteção da criança e adolescente da cidade de São Paulo, apoiando o seu desenvolvimento integral. Em 2019, o projeto promoveu, em parceria com o Museu da Energia, na região central da cidade, o primeiro dos três ciclos formativos previstos (em 2020 os encontros acontecerão nas zonas norte e leste de São Paulo). Ao todo, 24 profissionais de 21 instituições, participaram dos encontros e tiveram a oportunidade de aprofundar seus conhecimentos sobre Educação Integral, Território Educativo, Sistema de Garantia de Direitos da Criança e do Adolescente e as estratégias de articulação em rede para a garantia desses direitos. Com a conclusão desse ciclo, foram alcançados mais de 1.500 crianças e adolescentes, considerando as declarações de público atendido entregues pelos participantes.
Após a cocriação do Projeto Político Pedagógico (PPP) da Estação Conhecimento de Arari, no Maranhão, em 2018, a Cidade Escola Aprendiz realizou em 2019 a formação com educadores do equipamento, visando à construção de um currículo alinhado aos conceitos do PPP. A iniciativa da Fundação Vale contou com a parceria da Fundação Gol de Letra, do Instituto Catalisador e do Instituto de Estudos Sociais e Terapias Integrativas (Iesti) na realização de laboratórios formativos para ampliar o repertório dos educadores sobre as linguagens ofertadas, apresentando aos mesmos ferramentas e instrumentais para consolidar as práticas pedagógicas na perspectiva da Educação Integral. O equipamento que atende cerca de 580 crianças e adolescentes na jornada estendida, após reflexão e planejamento, passa a repensar os tempos (ciclos e duração das atividades), espaços, agrupamentos dos educandos, aprendizagens e métodos de avaliação que estruturam a organização, orientando sua oferta educativa a partir de um itinerário composto por programas de cultura, esporte educacional e multiletramentos, e focado no desenvolvimento de aprendizagens a partir de projetos. Confira aqui o documentário produzido em 2018 sobre a Estação Conhecimento de Arari, a Educação Integral e o PPP.
Em parceria com a Fundação Vale, a Cidade Escola Aprendiz apoia a realização do Projeto Político Pedagógico (PPP) da Estação Conhecimento de Brumadinho a partir das concepções de Educação Integral e Território Educativo. Em 2019, foram ministradas 96 horas de formação, que terão continuidade em 2020, visando orientar a oferta educativa da Estação Conhecimento para promoção do desenvolvimento integral de crianças e adolescentes; qualificar o atendimento às crianças e famílias; e articular a oferta socioeducativa da Estação com as comunidades do entorno, fortalecendo a rede de aprendizagem local.
Mediadas pelo Aprendiz, as Estações Conhecimento (ECs) – organizações sociais que atendem crianças, adolescentes, jovens e suas famílias, a partir de atividades de cunho educativo, cultural e socioassistencial, nos territórios de Arari (MA), Brumadinho (MG), Serra (ES), Marabá (PA) e Tucumã (PA) – realizaram três encontros de integração em 2019. Trata-se do Laboratório de Integração das Estações Conhecimento (LabECs), cujo objetivo é promover a troca e o compartilhamento de práticas pedagógicas e de gestão entre as equipes das ECs, que são mantidas com recursos da Fundação Vale.
Criado como um dos primeiros sites de educação do Brasil, há 23 anos o Portal Aprendiz produz e dissemina conteúdos sobre Educação, Direitos Humanos e Cidade. Dentre as suas reportagens, há experiências, pessoas, organizações e políticas públicas que fazem dos territórios lugares mais educadores, inteligentes, sustentáveis, criativos, inclusivos e democráticos.
Como parte das ações da 4ª dição do Prêmio Territórios, o Instituto Tomie Ohtake, em parceria técnica com a Cidade Escola Aprendiz, realizou em 2019 duas edições do Laboratório Territórios. Ao todo, foram dez encontros, totalizando 40 horas de formação com 50 professores da rede municipal de educação. Além de apoiar a sistematização de práticas pedagógicas, suscitando discussões nos campos da Cidade, Educação e Cultura, o Laboratório buscou fomentar que os educadores e educadoras articulassem potenciais educativos dos territórios e saberes locais às suas práticas, assegurando processos de ensino-aprendizagem contextualizados e significativos para os/as estudantes. Cada um dos encontros contou com a participação especial de professoras contempladas em edições anteriores do prêmio, que puderam compartilhar suas experiências e inspirar o grupo.
No segundo ano de atuação, a Cidade Escola Aprendiz estruturou uma formação com gestores e educadores para definição do Currículo do Projeto Ondas, alinhado às premissas e diretrizes estabelecidas no Projeto Político Pedagógico (PPP). Nesse itinerário, foi possível repensar os tempos (ciclos e duração das atividades), espaços, agrupamentos dos educandos, aprendizagens e métodos de avaliação que estruturam a instituição, localizada no Guarujá, município do litoral do estado de São Paulo.

Participação em eventos

Promovida de 12 a 17 de agosto, a 12ª Semana do Patrimônio Cultural de Pernambuco teve como proposta abrir um amplo e qualificado debate sobre as relações entre os territórios educativos e culturais e suas potencialidades para o patrimônio cultural, por meio de atividades distribuídas nos eixos de ação: Brincar com o Patrimônio, Experimentar o Patrimônio, Interpretar o Patrimônio e Pensar o Patrimônio. No segundo dia do evento, aconteceu no Centro Comunitário da Paz – COMPAZ Ariano Suassuna, no Recife, a mesa redonda “Territórios Educativos e Culturais: diálogos possíveis”, que contou com a participação de Raiana Ribeiro, coordenadora de programas da Cidade Escola Aprendiz, do secretário de Cultura de Pernambuco, Gilberto Freyre Neto, do secretário de Segurança Urbana do Recife, Murilo Cavalcanti, e do secretário de Cultura do Ceará, Fabiano Piúba.
Iniciativa do Museu da Língua Portuguesa, o curso voltado para professores abordou em quatro encontros conceitos como Território Educativo e Cultural, valorizando ações pedagógicas da escola que transpassem seus muros. No segundo encontro, que ocorreu dia 28 de setembro, a formação com o tema “Território Educativo e práticas extramuros em escolas de São Paulo” contou com a participação de Dayana Araújo, gestora de projetos da Cidade Escola Aprendiz, e Natame Diniz, do Instituto Tomie Ohtake, que ministraram aula para 50 professores da rede municipal de educação de São Paulo.
A reunião do Fórum Paulista de Prevenção e Erradicação do Trabalho Infantil (FPPETI) realizada no dia 30 de setembro, no Ministério Público do Trabalho em São Paulo, trouxe para o debate com a sociedade civil o tema “Qual é o papel da Educação e Proteção Social no enfrentamento ao trabalho infantil?”. Membro do colegiado do Fórum, a Rede Peteca – Chega de Trabalho Infantil mediou o debate com a apresentação do tema “Cidades Educadoras”, que contou com a participação de Raquel Coelho, gestora de projetos da Cidade Escola Aprendiz. Na ocasião, ela tratou de experiências voltadas à integração entre comunidades, escolas e território e a constituição de cidades orientadas para o desenvolvimento integral dos sujeitos.
A 1ª Jornada Pedagógica organizada pela Coordenação Regional das Obras de Promoção Humana (Croph), instituição responsável pela gestão de três Centros de Educação Infantil (CEIs), na zona norte de São Paulo, contou com a participação de Luisa Vellutini e Raquel Coelho, da Cidade Escola Aprendiz, para a formação das(os) educadoras(es) na perspectiva da Educação Integral nas Infâncias. Ao todo, participaram do evento cerca de 80 educadoras e educadores dos CEIs conveniados.
Voltada para professores de Centros de Educação Infantil (CEIs) e Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIs) da rede municipal de educação de São Paulo, a II Jornada Pedagógica, que aconteceu no dia 29 de novembro, contou com a participação de Raquel Coelho, gestora de projetos do Educação e Território, programa da Cidade Escola Aprendiz. Na ocasião, com o objetivo de ampliar o repertório de práticas educativas para além dos limites da instituição escolar, foram ministradas pelo Aprendiz, DKS e International Play Association (IPA) oficinas para educadores das escolas da Diretoria Regional de Ensino (DRE) Ipiranga. Essa formação, que ocorreu no Centro Esportivo Mané Garrincha – Ibirapuera, teve a participação de 175 professores da rede.
A Cidade Escola Aprendiz, representada pela gestora de projetos do Educação e Território, Dayana Araújo, participou no dia 11 de dezembro do encerramento da iniciativa Educação pela Cidade, da Fundação Joaquim Nabuco (Funfaj), no Recife. O evento fez parte da programação do seminário do projeto Cidade na Palma da Mão, que teve como objetivo discutir iniciativas recentes que tenham trabalhado com questões situadas entre os campos do Urbanismo, da Comunicação, da Tecnologia e da Educação, especialmente casos ligados à promoção da participação cidadã.

Especiais

Saberes Afro-brasileiros 

Durante o ano de 2019, o Portal Aprendiz reiterou em 2019 seu compromisso em cobrir educação e direitos humanos sob a perspectiva de saberes negros. Isso implica não só na manutenção e constância de fontes negras em todas as temáticas, como também matérias dedicadas a introduzir novas epistemologias a partir de territórios, corpos e saberes negros, além da divulgação da produção acadêmica de pensadoras e pensadores negros(as) do passado e do presente.

Veja aqui uma das matérias da série. 

Universidade

O ano de 2019 foi um ano de ataques sistemáticos à universidade brasileira, desde seu financiamento até a liberdade de cátedra. Além dos impactos da redução de investimentos, o Portal Aprendiz produziu conteúdos sobre o papel e a relevância dos conhecimentos construídos pela universidade pública nos territórios.

Veja aqui uma das matérias da série.